A vida segue, a solidariedade também

Maria Laura Gasparini, 18 anos, saiu de casa às cinco da manhã na sexta-feira (14). “Ainda estava escuro”, conta. Estudante, moradora da cidade de João Monlevade, a 135 quilômetros de Belo Horizonte, ela preparava-se para fazer algo que nunca havia feito: doar sangue. Ela e milhares de pessoas compareceram à sede do Hemominas, na região hospitalar da capital para um gesto simples, que pode salvar vidas a qualquer momento.

Na sexta-feira foi comemorado também o Dia Mundial do Doador de Sangue. A Cruz Vermelha Brasileira – Filial Minas Gerais esteve presente no Hemominas durante as atividades, promovendo a campannha “Doação de Sangue é Vida que Segue”. A equipe distribuiu alguns dos corações que foram produzidos especialmente para a promoção dessa iniciativa, convidando quem recebia para publicar uma foto com o brinde em suas redes sociais e depois repassá-lo a outras pessoas próximas, amigos, familiares, para fazer seguir a corrente.

Maria Laura foi uma das presenteadas com o coração da Cruz Vermelha, que por agora já circula em João Monlevade. “Me tornei doadora por conta da minha melhor amiga, que cresceu comigo e que já tinha me incentivado para isso outras vezes. Sinto que é uma forma muito verdadeira de ajudar alguém, de uma forma simples e bonita”, explica a estudante. Em seu perfil do Instagram, maria Laura já compartilhou a sua foto com o coração e convidou seus amigos a fazerem o mesmo. “A primeira de muitas doações que farei”, escreveu.

O Dia Mundial do Doador do Sangue ainda foi comemorado na sede do Hemominas com festa junina, quadrilha, comidas típicas e muita confraternização entre os doadores. Porém, a mobilização para conseguir novas doações continua. O hemocentro de Belo Horizonte está preocupado com a queda nos bancos de sangue durante o inverno e devido a um outro fator crucial em 2019, a grave epidemia de Dengue no estado de Minas Gerais e na capital. Por isso, a chamada ainda é urgente.

O Hemocentro de Belo Horizonte fica na alameda Ezequiel Dias, nº 321, no bairro Santa Efigênia e funciona até às 18h. Coletas também podem ser feitas em outros dois pontos da cidades, sendo eles no bairro Vila Clóris (Av. Cristiano Machado, nº 11.833 – loja 4002 B) ou no Hospital Júlia Kubitschek, no bairro Araguaia (avenida Dr. Cristiano Rezende, nº 2505). Em todo o estado, 25 cidades possuem ponto de coleta de sangue. Podem ser voluntários, pessoas entre 16 e 69 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *